Caixa económica.

  • Referência
    «Monte Pio da Imprensa Nacional», A Federação, n.º 27, de 4 de fevereiro de 1860, p. 108.
Assunto

Organização da caixa económica da Imprensa Nacional.

Ficha

«Monte Pio da Imprensa Nacional — Reuniu no domingo 29 a assembleia geral. O conselho administrativo prestou, por intervenção do seu digno presidente o sr. Pereira de Almeida, as contas da gerência do ano findo, as quais foram aprovadas com gerais e bem cabidos louvores.
Igualmente foi aprovada a proposta para a organização de uma caixa económica junto ao mesmo monte pio. Os estatutos autorizam esta caixa, e é ao conselho que vai competir a sua execução. Chamamos a atenção de todos os sócios sobre esta salutar e civilizadora instituição. Os que forem ali depositar as suas economias (que no mínimo é de 100 reis e no máximo 100$000) prevenirão algum acidente que imprevistamente lhes suceda; debelarão um dos mais atrozes inimigos da humanidade — a agiotagem; darão um belo exemplo de previdência, que só lhes poderá ser censurado pelos desregrados que não contam senão com o dia de hoje, ou que repousam na bolsa alheia.
Na segunda parte dos seus trabalhos, ocupou-se a assembleia da eleição dos novos gerentes para o presente ano, os quais são:
Mesa — Vice-presidente, Angelo Rafael Vechiato; secretários, Luiz Mascarenhas Matos e Lemos, José António Dias.
Conselho administrativo — Presidente, Francisco Angelo de Almeida Pereira e Sousa; secretários, Francisco de Paula Rodrigues; António Joaquim de Oliveira; tesoureiro, Joaquim José das Neves; vogais, João dos Reis Azevedo, José Vicente 2.º, Miguel Teixeira Sobral Saldanha, João José de Carvalho, Lourenço José de Oliveira, João Augusto dos Anjos.
Comissão de contas — Francisco de Sousa Pereira, Carlos Augusto Sivori, Filipe Camilo Tarré.»