Relançamento editorial.

  • Referência
    «Obras camonianas raras assinalam relançamento da editora do Estado», Diário de Lisboa, de 22 de fevereiro de 1980, p.22.
Assunto

Plano editorial da Imprensa Nacional para 1980.

Ficha

«O lançamento da reedição de “Vida e Obra de Luís de Camões”, de Wilhelm Storck, e dos estudos camonianos de Carolina Michaelis de Vasconcelos (obras há muito esgotadas) assinalou ontem a primeira de uma série de iniciativas com que a Imprensa Nacional-Casa da Moeda comemorará o quarto centenário da morte de Camões.[…]
A nova programação da IN/CM foi apresentada por Vasco Graça Moura, responsável pelo relançamento editorial da editora do Estado, o qual referiu que homenagear Camões “não é só editar, mas também criar condições para que a cultura portuguesa chegue ao povo”.
Vasco Graça Moura revelou que a Imprensa Nacional vai criar uma biblioteca de autores portugueses, salientando a próxima edição de livros como “Naufrágios, Viagens Fantasias e Batalhas”, com notas de João Palma-Ferreira, “Paulo, o Montanhês”, de Arnaldo Gama, “história dos principais atos e procedimentos da Inquisição Portuguesa”, por Dias Mendonça e António José Moreira, “Reflexões sobre a Vaidade dos Homens”, de Matias Aires, e uma autobiografia de António Margarido Castelo Branco, manuscrito inédito do século XVII.
Será também editada uma [co]leção de estudos portugueses em que se integram “Estudos da Literatura Portuguesa”, por Cleonice Berardinelli, “Lira Mínima”, por Stephen Reckert, “Novela Camiliana”, por Jacinto do Prado Coelho e “Hospital de Letras”, por David Mourão Ferreira.
A Imprensa Nacional fará ainda edições diversas em que se salientam “Dicionário de pseudónimos”, de Albino Lapa, “Cartas de D. Francisco Manuel de Melo” e “Imaginário Luso-Oriental”, de Bernardo Ferrão.»