Importância da emancipação feminina

  • Referência
    P., A Federação, n.º 20, de 14 de março de 1857, p. 1.
Assunto

Artigo de Francisco Ângelo de Almeida Pereira e Sousa (assinado «P.») sobre a importância da emancipação feminina

Ficha

«Publicando o seguinte artigo experimentamos o mais sincero júbilo por vermos nele uma clara prova de que as ideias de reforma também acham eco no coração do sexo amável. ‘O brado de uma mulher’ é um escrito profundamente pensado e redigido com valentia e paixão; e se não nos parecem em todo o ponto justas as arguições que ali se fazem ao nosso sexo, há verdade pungente em grande parte dos factos que nele se apontam. Com a gentil e distinta colaboradora, que sentimos deveras não conhecer, parecendo-nos que bem podia largar o véu do incógnito quem tão brilhantemente se estreia nas lidas da imprensa, reconhecemos a indispensabilidade de uma larga reforma na educação da mulher, entendemos que ela não deve ser considerada somente como a flor cujo fragrante perfume nos embriaga os sentidos, senão como aquele ente que Deus pôs no mundo para completar a nossa existência e torna-la agradável e ditosa, e posto que não desejemos que as mulheres substituam os homens nos bancos das secretárias e nos exercícios de certos empregos, que em vez de lhes acrescentarem lhes quitariam a consideração e o respeito, atrevemo-nos a juntar a nossa débil voz ao brado da distinta articulista, fazendo igualmente ardentes votos para que se empreenda uma larga reforma na educação feminil. A mulher é a primeira educadora do género humano; habilitá-la para que possa cada vez mais condignamente cumprir esta elevada missão, é garantir-se a independência a que tem incontestável direito, é torna-la credora da nossa gratidão e respeito, é elevá‑la à posição que justamente lhe compete na sociedade. — P.»