Detalhes de documento

  • Arquivo
    INCM/Arquivo Histórico da Imprensa Nacional
  • Cota
    Documentos da Direção-Geral, 4.12. 1915-1946. Relatórios Folheto Rol de desonra» [cópia].
  • Tipo de documento
    Relatório
  • De:
    Peritos da Imprensa Nacional
  • Para:
Transcrição

«Relatório dos peritos que acompanharam as diligências às tipografias de Manuel Buente, na travessa das Mercês; do Liberal, na Rua da Atalaia; e de Lamas, Mota & C.ª na rua da Alegria n.º 100.

Incumbidos de verificar se na tipografia de Manuel Buente podia ter sido executada a composição do folheto Rol de desonra, e sem que nos fizesse fé a declaração do encarregado da mesma tipografia, Augusto José Garcia, constatámos não existir ali o tipo de corpo 10 n.º 4, olho inglês, redondo e itálico, em que o texto do referido folheto é composto. Igualmente, pelo exame a que procedemos quer nos cavaletes, aparadores e cacifos onde se guardam as caixas tipográficas, quer na coleção dos trabalhos ali impressos, não encontrámos nem os carateres do rosto, nem o das epígrafes do texto do folheto.
Averiguado que a composição tipográfica não podia ali ter sido executada, o mesmo não podemos afirmar em relação à impressão. O folheto Rol de desonra podia ter sido impresso na máquina que a Tipografia Buente possui, visto o seu formato ser adaptável aos “cofres” dessa máquina e o papel empregado muito semelhante, apenas com uma ligeira diferença de dimensões – àquele em que o Liberal era ali impresso. Todavia do exame às coleturas e às frisas dos cilindros da máquina não apuramos qualquer leve indício suspeito. Inquirindo do citado encarregado Augusto José Garcia se a empresa de O Liberal, independentemente da impressão do jornal, cometera à Tipografia Buente a execução de alguns outros trabalhos declarou-nos que apenas a encarregara de requisições de bilhetes de teatro e, não se recorda se, de recibos de assinatura.
..
Na diligência à Tipografia de O Liberal verificámos que também ali não existia nem o tipo do texto do folheto em questão – que, de resto, nunca fora empregado no jornal – nem o das epígrafes do mesmo texto. Apenas apurámos a existência dos carateres de fantasia empregados no rosto do mesmo folheto e com os quais se podiam ter composto os dizeres: Rol de desonra. A impressão não podia ser ali feita, visto que a tipografia de O Liberal não possui máquina própria.
..
Na vistoria à Tipografia Lamas, Mota & C.ª igualmente verificamos, após detido exame à secção de composição tipográfica, que esta não possui nenhum dos tipos empregados no Rol de desonra. Com menor fundamento do que afirmamos quanto à impressão na máquina da Tipografia Buente, o folheto podia ter sido ali impresso em qualquer das três máquinas de que a Tipografia Lamas é possuidora, uma das quais, de duas rotações, se verifica, aliás, não ter funcionado há tempos. Tais máquinas, porém, pela sua qualidade e procedência, dariam aos exemplares uma impressão mais perfeita, embora em papel ordinário, do que aquela que apresenta o Rol da desonra.
Terminada a nossa missão, exclusivamente de carater técnico, resta-nos afirmar que se os seus resultados podem ser considerados como insuficientes, eles entretanto exprimem tudo quanto a nossa probidade profissional mandava que esclarecêssemos.
Lisboa, 19 de novembro de 1917»