Situação laboral dos tipógrafos.

  • Referência
    «Os tipógrafos e o Estado Novo», Diário da Manhã, n.º 1972, de 14 de outubro de 1936, p.2.
Assunto

Situação laboral dos tipógrafos e reabsorção do desemprego no setor.

Ficha

«O Sr. Subsecretário de Estado das Corporações recebeu, ontem, no seu gabinete, um grupo de tipógrafos que foi agradecer àquele membro do Governo o que tem feito em prol daquela classe.
O Sr. Campos Lobo, presidente do S. N. dos Tipógrafos, elogiou a obra do Sr. Dr. Manuel Rebelo de Andrade e as medidas tomadas por S. Ex.ª para melhorar a situação dos operários gráficos, relembrando as condições em que se encontrava a classe, à data da aprovação do Estatuto do Trabalho Nacional e as medidas adotadas de então para cá, que são numerosas e notáveis. Descreveu ainda a ação da Agência de Colocação de Desempregados, que ao fim de alguns meses já apresenta o seguinte resultado: colocações, 257; sendo 183 compositores e 74 impressores, dos quais 133 são oficiais, 61 meios oficiais e 63 aprendizes, salientando o benéfico efeito já notado com a proporção de oficiais colocados, que vai aumentando, absolutamente ao contrário do que sucedia há poucos anos, em que por cada 10 aprendizes só se colocavam 1 ou 2 oficiais, o que foi a vergonha e o desastre que atirou para o desemprego centenas de homens.
O Sr. Subsecretário de Estado das Corporações, em breves palavras, agradeceu aquela manifestação, afirmando que nunca se esqueceria da situação dos trabalhadores portugueses, e que dentro das possibilidades do Governo as condições de trabalho continuaram, como até aqui, a ser consideravelmente melhoradas.»